Do outro lado do mundo

MBigucci assina contrato com cliente no Japão. Arigatô

O grande avanço tecnológico conquistado no período da pandemia, possibilitou a MBigucci a entrar para uma incrível história que começou do outro lado do mundo.

Quem nos conta é o administrador Hélio Pagano: “Vim com minha esposa, Sônia, para o Japão em 2005, buscando melhor trabalho e estudo para nossos 3 filhos. Moramos atualmente na cidade de Aichi-Ken, a 300 km de Tóquio. No Brasil, morávamos em Santo André/SP, e a intenção sempre foi levar minha mãe (Dalva Milanez Pagano, de 80 anos) para lá, principalmente após o falecimento do meu pai, pois ela ficou muito sozinha. Pesquisando na internet pela localização, achamos o Sonata MBigucci no Parque das Nações, em Santo André. Era onde e exatamente do jeito que a gente queria.”

Como a mãe de Hélio morava no interior de São Paulo, ele contou com a ajuda especial da sogra, Emília Nakao, de 78 anos, que mora bem próximo ao Sonata, e foi ao condomínio conhecer pessoalmente. “Gostei demais do empreendimento e daí por diante, com auxílio do gerente Marcos Gonzalez, tudo foi muito rápido”, lembra. Com o empenho dos Departamentos de Vendas, Jurídico e TI, em poucos dias foram implantadas as plataformas digitais necessárias para certificação e assinatura digital.

Dalva Milanez Pagano, Marcos Gonzalez, Emília Nakao

E no dia 22/7/2020, em um procedimento que levou cerca de 30 minutos online, o sr. Hélio Pagano, lá no Japão, assinou o contrato do ímovel para sua mãe morar em Santo André, no Brasil.

Mais um feito para a História Digital e Humana da MBigucci, conforme comenta a diretora Roberta Bigucci. “A pandemia só acelerou a nossa adaptação digital, principalmente em relação aos contratos. Isso abriu as portas para que brasileiros no exterior comprassem os imóveis da MBigucci de forma rápida, simples e com valorização financeira”, comenta.

O sr. Hélio Pagano também destaca a novidade: “Tive um excelente tratamento da MBigucci. Nem imaginava que essa negociação digital poderia ser feita! É um fato positivo que abre a oportunidade para quem está no exterior, como eu, e quer comprar um imóvel. Muitas vezes a gente deixa de fazer um investimento por não ter uma empresa de confiança ou pela burocracia nas documentações”, ressaltou.

Assinatura digital e eletrônica, qual a diferença?

sinatura digital
(utilizada pela MBigucci com clientes no exterior)
É gerada a partir do Certificado Digital ICP-Brasil e tem o mesmo valor jurídico da assinatura manuscrita, garantido pela legislação brasileira (mesma validade de uma autenticação em cartório). Além disso, a criptografia, presente na chave pública do certificado, permite que apenas as pessoas autorizadas tenham acesso ao documento confidencial. Para utilizá-la é preciso subir o documento em um portal de assinaturas e usar um Certificado e-CPF ou e-CNPJ no nome do representante legal, mencionado no contrato social ou estatuto da empresa.

Assinatura eletrônica
É gerada a partir da grafia de uma assinatura na tela de um dispositivo (computador, celular e tablet) geralmente feita com mouse ou canetas eletrônicas e eficazmente comprovada de acordo com as evidências colhidas, como a geolocalização, reconhecimento de voz ou imagem, por exemplo. Apesar da sua validade jurídica, não tem o mesmo valor que um cartório atribui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *