AVC é súbito e pode matar: fique atento!

90% dos casos podem ser prevenidos com práticas saudáveis e melhor qualidade de vida

O AVC (Acidente Vascular Cerebral), popularmente conhecido como derrame, é uma das principais causas de mortes e sequelas no mundo. Só no Brasil, em 2015, foram registrados mais de 400 mil casos. Segundo o Ministério da Saúde, a cada 5 minutos um brasileiro morre em decorrência do AVC. O derrame é algo súbito e ocorre quando há uma alteração sanguínea no cérebro, ocasionada por um entupimento ou o rompimento dos vasos que levam sangue a este órgão.

Saber identificar os sintomas iniciais e acionar o socorro correto rapidamente é determinante para salvar a vida e evitar que o AVC cause sequelas graves. Segundo o médico neurocirurgião Dr. Marco Prist Filho, “é preciso agir antes de 3 a 4 horas para aplicar o remédio endovenoso (diretamente na veia) ou se for fazer por cateterismo a janela é de até 6 horas. Depois disso, não é possível aplicar mais nenhum medicamento que dissolva os coágulos, com o risco de produzir uma grande hemorragia no cérebro”, alerta Prist.

O médico destaca também que, diferente de uma dor no peito característica de um infarto, os sinais de um AVC são mais difusos e muitas vezes as pessoas acabam “esperando, para ver se passa”, entretanto, cada minuto é precioso quando há um derrame.

Dados alarmantes
AVC mata por ano:
•5 milhões de pessoas
no mundo
•100 mil brasileiros
(6 em cada 10 são mulheres)
www.redebrasilavc.org.br

sinais

cerebro

Fatores de risco do AVC
De acordo com Dr. Marco Prist Filho, existem fatores que podem aumentar o risco para o desenvolvimento de um AVC: “São fatores que levam você, progressivamente, a produzir placas de gorduras nas artérias, podendo ocasionar o entupimento ou rompimento dos vasos, por isso devem ser diagnosticados e tratados.” Dr. Prist ressalta que é fundamental fazer exames preventivos uma vez ao ano, mesmo que não tenha sintoma algum. Checar o histórico familiar também é essencial. Para destacar a importância do controle dos fatores de risco, o médico alerta: “Se você teve um derrame, a chance de ter um segundo derrame em 2 anos é de 30%, porém, se você cuidar dos fatores de risco, diminui para 5% ou menos.”

Derrame também acomete jovens
Segundo levantamento do Ministério da Saúde feito em um período de 10 anos, 62 mil pessoas com menos de 45 anos morreram por conta de AVC. A incidência da doença em uma faixa-etária mais jovem também está associada aos f“Hoje temos uma atividade sedentária muito intensa, um stress emocional muito intenso, o tabagismo que ainda é bastante alto, uso de anticoncepcional atrelado ao fumo. Esta série de fatores pode fazer com que haja uma estatística que parece ser mais favorável a ter AVC em jovens”, informa o neurocirurgião Dr. Marco Prist Filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *